Artigos


Voltar «
Projetado para Adversidades, EU? - Rodrigo Ferreira

Projetado para Adversidades, EU? - Rodrigo Ferreira

06/02/2015

Você gosta de esportes? Mesmo que sua resposta seja “não”, permita-me meditar rapidamente contigo em algumas analogias.

1) Boxe: levar e aguentar - Talvez você possa se lembrar de alguns grandes nomes como Evander Holyfield, Mike Tyson ou até mesmo de nosso grande pugilista brasileiro “Maguila”, ou o jovem “Popó”. Se eu falasse que todos eles se tornaram campeões sem nunca terem levado um golpe sequer, você acreditaria? Provavelmente não. Iria rir de mim e diria que acredito em contos de fadas e fábulas. É ilusão achar que um pugilista NUNCA levaria um soco.

Ser um campeão está implícito: treinamento duro, dores e golpes... Muitos golpes. É através das dores do treinamento que se ganha resistência. É através dos golpes levados que se identifica seus próprios pontos fracos. Só assim, após as dores de um golpe e uma avaliação própria é que o boxeador se aperfeiçoa. Isso é maturidade, pois o atleta sabe onde quer chegar. Está implícito na sua vocação LEVAR e AGUENTAR pancada, mas a “coroa” ou “prêmio” valeria a pena.

2) Surfe: não existe campeão em água parada – Uma bela notícia para o esporte foi o novo campeão mundial de surfe, o brasileiro Tiago Medina. Se eu falasse que para alcançar essa conquista gloriosa, ele somente comeu “sucrilhos”, acordava tarde, e que sempre foi mimadinho pelo “papai” que só deixava treinar em piscina e lagoa para não correr riscos de afogamento... Você acreditaria? Não! Um campeão como ele, apesar de muito jovem, foi formado com muita disciplina.

Foi formado com uma vida regrada pelo pai, mesmo que o jovem muitas vezes não gostasse. Esse jovem campeão foi formado em meio a muitos “caldos” (quando a onda quebra sobre o surfista ou banhista). Não existe campeão de surfe em água parada! Não se tem campeão de verdade sem onda ou sem "tomar caldo".

3) Barco a vela: o vento te leva mais longe – este barco foi PROJETADO para cumprir seu DESTINO: que é navegar, conduzir pessoas sob condições de VENTO. Ou seja: quem criou o barco sabia que este enfrentaria ventos fortes e fracos, mas PROJETOU SUA CRIAÇÃO para não somente suportar a adversidade, mas para TIRAR PROVEITO E IR MAIS RÁPIDO E MAIS LONGE em seu DESTINO.

“TOMANDO POSSE” DA ADVERSIDADE

Sabe amigos, o rei Davi disse que o Senhor o fez com "pés como da corça" (Salmos 18:33). Acredito que não era algo somente bonitinho de se falar, mas ele fez disso uma verdade praticada em sua vida. Foi um princípio que foi ensinado de geração em geração: nós temos um "desenho espiritual" como o da corça. Tanto é que, anos depois, Habacuque faz a mesma menção (cap 3:19): que o Senhor o fez "com pés como da corça".

A corça tem suas pernas alongadas, que permitem sua ágil defesa dos predadores. Mas não somente para que CORRA dos predadores. Sua pernas longas permitem que ela caminhe em LUGARES ALTOS, montanhas inclinadas, e SOBRE as adversidades dos pântanos, lugares onde seus inimigos não alcançam, pois não foram PROJETADOS para tais locais.

Muitas vezes é assim nas nossas vidas. Contudo, queremos a vitória, mas não “o processo” para chegar até ela. Jesus disse que no mundo teríamos aflições, mas que tivéssemos bom ânimo (João 16:33). Diante de adversidades, o apóstolo Paulo afirma sermos "mais que vencedor" (Romanos 8:35). Não há vitória sem batalha, e isto está implícito na vida cristã.

Seria imaturidade dizer que não há lutas na vida cristã. Contudo fomos desenhados pelo nosso Criador para superá-las, e tirar proveito das circunstâncias. O apóstolo Tiago que diz "Feliz a pessoa que persevera na provação, porquanto, após ter sido aprovada, receberá o prêmio da coroa da vida, que Deus prometeu aos que o amam." (Tg 1:12).

CONCLUSÃO

Concluo dizendo que assim como a prancha está para a onda, o barco a vela está para o vento, o pugilista está para golpes que levará, da mesma forma o cristão está para adversidades e aflições. "Tomar posse" de todas as batalhas, não fugindo, é sinal de maturidade e entendimento que, por mais que não entenda, o PROCESSO o conduzirá a vitória. Quem sabe onde quer chegar RESPEITA o processo.

Louvemos sempre, pois as adversidades são temporais, mas o que elas produzem em nós são ETERNAS!

“Porque para mim tenho por certo que as aflições deste tempo presente não são para comparar com a glória que em nós há de ser revelada.” Romanos 8:18

Um grande e fraterno abraço!

Rodrigo Cornacini Ferreira – Contato: agrorcf@gmail.com